Fevereiro Laranja: texto enviado pela Coordenadoria de Saúde do TRT5 destaca importância da doação de medula óssea para combater leucemias

A Coordenadoria de Saúde do TRT5 encaminhou o texto abaixo, de autoria do médico clínico Thiago Martins Oliveira, sobre a campanha Fevereiro Laranja, que tem como objetivo alertar e conscientizar a população para a importância da doação de medula óssea para combater leucemias.

 

Fevereiro Laranja alerta para a importância da doação de medula óssea para o combate à leucemia

 
O mês de fevereiro é marcado pela campanha chamada Fevereiro Laranja, que surgiu com objetivo de informar e conscientizar a população sobre a Leucemia e a importância de se tornar um doador de medula óssea.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se que em 2021 surjam quase 11.000 casos novos de leucemias em todo o Brasil. É o 9º câncer mais comum no sexo masculino e o 11º no feminino.

É um tipo de câncer que se inicia dentro da medula óssea (a fábrica do sangue), acometendo os leucócitos (glóbulos brancos), que são as células responsáveis pela defesa do corpo. A doença ocorre quando algumas dessas células sofrem mutações e se multiplicam descontroladamente, substituindo as células sanguíneas normais. De uma maneira geral, as leucemias podem ser agudas ou crônicas e podem aparecer em qualquer época da vida (crianças, adolescentes, adultos ou idosos). Alguns sinais e sintomas das leucemias são palidez, febre persistente, aumento dos gânglios e sangramentos.

O tratamento é feito com quimioterapia e em alguns casos é necessário o transplante de medula óssea. Nestes casos, a primeira opção é buscar um doador compatível na família, mas quando não se encontra, a solução é consultar o Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome). O Redome é responsável pela manutenção das informações de todos os doadores voluntários de medula óssea cadastrados no Brasil e pela identificação de possíveis doadores para pacientes brasileiros. Estima-se que a chance de encontrar um doador compatível seja de 1 para cada 100.000 pessoas, por isso a importância da conscientização sobre a doação de medula óssea.

Qualquer pessoa com idade entre 15 e 60 anos pode ser um doador voluntário, basta estar em boas condições de saúde e se cadastrar no Redome, em qualquer hemocentro. Na Bahia, o cadastro é realizado no Hemoba.

Mais informações no site do Redome: http://redome.inca.gov.br

Thiago Martins
Médico Clínico - Coordenadoria de Saúde TRT5
CRM-BA: 15870

 

Secom TRT5-BA - 19/2/2021