Saúde em Movimento: leia texto sobre envelhecimento saudável enviado por médica do TRT5

Publicamos a seguir, como parte da Semana Saúde em Movimento, texto sobre envelhecimento com saúde enviado pela diretora da Coordenadoria de Saúde do TRT5. 

 

Envelhecimento com saúde

Os hábitos que cultivamos ao longo das nossas vidas são responsáveis por 70% do que vamos colher em nossa velhice. Os outros 30% são fatores genéticos. Por isso é importante que desde a infância cultivemos hábitos saudáveis. A cota de envelhecimento começa muito cedo por volta dos 30 anos de idade e desde então é necessário investir em hábitos saudáveis tanto do ponto de vista físico como também emocional, social e financeiro.
É possível envelhecer com qualidade de vida?

Sim, é possível! E não precisamos nos esforçar muito para que isso aconteça. A qualidade de vida é um termo multidimensional, que é quantificado de forma subjetiva, cada um a qualifica de acordo com aquilo que acha mais relevante para o seu bem-estar, mas é importante considerar diversos fatores: bem-estar físico e psicológico, nível de independência, relações sociais, ambiente de trabalho e lazer, religiosidade, entre outros. De modo geral envelhecer com qualidade significa estar satisfeito com a vida atual e ter expectativas positivas em relação ao futuro. Mas é válido lembrar que quem mantém um padrão de boa qualidade de vida durante o ciclo de vida tem uma probabilidade maior de perceber uma qualidade de vida melhor na terceira idade.

Estudos consideram ser comum uma queda na percepção de qualidade de vida após a aposentadoria, por conta da interrupção das atividades físicas, mentais e intelectuais. Desta forma, é necessário que exista uma organização para os anos da velhice, quando ainda se está em plena atividade, a fim de reduzir o impacto causado pela inatividade. 

É fundamental mantermos um equilíbrio entre as potencialidades e as limitações, que são inevitáveis do processo de envelhecimento. É comum os idosos serem acometidos por doenças crônicas específicas da idade, porém a qualidade de vida pode ser mantida com criatividade e lazer, sem dispensar os cuidados com a saúde.

Fonte: Associação Brasileira de Gerontologia
Márcia Lerner – Diretora da Coordenadoria de Saúde do TRT - 25/10/2018