TRT5-BA informa magistrados e servidores sobre prevenção do suicídio

A realização da palestra "Prevenção do Suicídio - Responsabilidade de todos" e do Curso de Prevenção do Suicídio foram as últimas ações do Setembro Amarelo do TRT5. O curso, voltado para a equipe de saúde do Tribunal, foi realizado na manhã dos dias 30/9 e 1º/10, enquanto a palestra, aberta a magistrados, servidores e público externo, aconteceu na tarde do dia 30/9. A presidente do Regional baiano, desembargadora Maria de Lourdes Linhares, fez a abertura da palestra.

Os dois eventos foram ministrados por Karen Scavacini, Doutora em psicologia pela USP e cofundadora do Instituto Vita Alere, especializado em prevenção do suicídio. Durante a palestra, Karen contestou os mitos mais comuns relacionados ao tema: a crença de que falar sobre suicídio leva ao ato, de que o comportamento suicida é causado por falta de amor ou falta de religiosidade, dentre outros. A psicóloga destacou o multifatorialismo do comportamento suicida, termo que indica que ele tem várias motivações.

MULTIFATORIALISMO - Um dos principais sintomas, segundo Karen, é a desesperança. Problemas familiares e econômicos, bem como pressão social e no ambiente de trabalho podem contribuir para o surgimento e aumento da desesperança. Por conta disso, é importante ficar atento aos possíveis sinais de comportamento suicida nos familiares, em amigos, colegas e em si próprio. Os indícios envolvem mudança brusca de humor, irritabilidade, sono desregulado, perda de interesse em atividades que gostava antes, sensação de que o mundo ficará melhor sem a pessoa, dentre outros.

A psicóloga deu dicas para enfrentar a pressão no ambiente de trabalho. "É preciso identificar a causa e a intensidade do sofrimento - causado pela pressão no ambiente de trabalho -, bem como a possibilidade de enfrentamento desse sofrimento e os instrumentos para lidar com isso, como mudança de emprego ou transferência de setor, no caso do funcionário público".

SAÚDE MENTAL - O curso e a palestra de prevenção do suicídio são fruto da parceria entre a Seção de Psicologia da Coordenadoria de Saúde e a Coordenadoria de Desenvolvimento de Pessoas (CDP). Os eventos fecham a campanha do TRT5 "Falar é a melhor saída", que também envolveu divulgação de textos na Intranet e a divulgação de vídeo educativo.

A chefe da Seção de Psicologia do TRT5, Sara Bitencourt, destacou as ferramentas fornecidas pelo Tribunal para cuidar da saúde mental dos magistrados e servidores. Além dos exames periódicos, existe o plantão psicológico da Coordenadoria de Saúde, com atendimento especializado. Outra medida são as campanhas psicoeducativas promovidas pela Seção de Psicologia.

Secom TRT5 (Erick Barbosa, sob supervisão de Franklin Carvalho) - 3/10/2019